quarta-feira, 30 de março de 2016

...

Se por um lado paira a insegurança frente aos surtos da oposição, nós de esquerda ainda temos que lidar com o pessimismo que ronda nossos companheiros. Estou vendo um número absurdo de pessoas que votaram no PT e sempre defenderam nosso partido caindo na tentação de ceder ao terrorismo midiático e romper com os princípios partidários.
Se antes o preocupante eram os coxinhas, agora, pós surtos PMDBista temos que conviver com o cenário de ratos abandonando o navio em grande número.
É preciso mais uma vez repensar o papel da militância e mais uma vez investir em formação dentro do partido e da base aliada, para que o cenário não piore mais a cada dia.

Velho Brasil, nova versão...

Estamos vivendo um período de caos político incentivado por uma mídia manipuladora, uma Igreja mais castradora que o esperado, uma população extremamente alienada e perdida que acredita que um juiz que adentrou ao hall da fama é a solução nacional e, o mais triste, um processo de golpe apoiado justamente pela ordem que deveria apoiar a justiça e não ser conivente com manobras. Mas enfim, enquanto isso, podemos ver um cenário de esquerda unificada na luta e o mais bonito de tudo: o povo defendendo a democracia, essa que foi tão duramente conquistada nesse país.
Eu quero sim um país melhor, o fim da corrupção e valorização do povo brasileiro, o que eu não quero é daqui uns anos olhar para o passado e saber que fui idiota ao ponto de achar que a Globo e o Jornal Nacional foram os paladinos da ética e da verdade.
Sejam mais, sejam críticos! Apóiem mídias alternativas e não caiam na tentação de achar que a fama de um juiz aqui do Paranaquistão seja mais influenciadora que o bom senso ideológico.
Um beijo de luz em mais um dia de luta de classes desse nosso tão conturbado e tão amado Brasil!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Pr´um amor distante, de novo... e de novo...

"E é no inconsciente da alma
Que essa saudade é despertada
E é apenas quando eu estou com a armadura aberta
Que ela implode dentro de mim
Deixando somente vestígios dos momentos sublimes
Os quais não possuo fotografias
Apenas guardo na memória."


*Saudade, quando se ama, é só um obstáculo. O amor está em nossos corações, independente da distância.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Pr´um amor distante...

"Ainda que fujas
Sei de fato
Que o amor que sinto
Está acima desses devaneios
do mundo moderno
E dessa necessidade constante
De impor o mando
e não o verbo".


Que seja sublime, que seja puro, contanto que seja apenas amor!

À La Bradshaw Again

É um devaneio constante que me corrói e que me afasta de mim mesma.
É um amor que eu não consigo buscar explicação, nem dentro da minha alma.
Seria o amor mais uma jogada da vida pra me entristecer?
Ou seria esse amor a grande causa da minha futura felicidade?
Eis que a cada dia esse amor me consome ainda mais;
eis que uma simples brisa da tarde me aproxima de você;
e me devolve aquela sensação de lar que só tenho ao seu lado.
Faz falta, machuca, angustia mas não magoa, nunca, só me deixa perdida em meio a realidade e a ilusão. 
Porém, nem o amargo gosto da ilusão me afasta desse amor sublime. 
Te amo, ao meu modo. 
Meu doce menino. 

sexta-feira, 13 de junho de 2014

DESABAFO



É lamentável ver uma maioria elitista vaiar uma presidenta que está engajada em exterminar a miséria e o vira-latismo em nosso país.
É lamentável ver uma elite, que deveria ser intelectualizada, pregando ódio em redes sociais pelo simples fato de não aceitarem a ascensão dos mais pobres.
É lamentável aceitar que vivemos em um país que hoje é a 8° economia do mundo e seu povo ainda vive usando o elevador de serviço achando ser inferior.
É lamentável ver que os que mais lucram com a economia e com a copa são os primeiros a incentivarem o ódio ao governo.
É lamentável viver em um país que seu povo não reconhece que uma criança deixando de passar fome e frequentando uma escola vale mais que qualquer balada ou Iphone.
Mesmo assim, amo meu país, amo o povo brasileiro e acredito sim que NOSSO país está cada vez melhor! Dilma de novo! Eu acredito. Eu confio. Vai fazer. Vai cuidar, vai amar cada brasileiro, embora nem todos deem o devido valor a isso!!!O que me consola é que estes são a minoria e a grande maioria do povo brasileiro está sim orgulhosa da nossa presidenta.

Resenha do livro Fortaleza Digital de Dan Brown



Resumo: Esta resenha visa apresentar o livro Digital Fortress do autor Dan Brown, lançado nos EUA em 1998 e com tradução para o português de Carlos Irineu Costa sob o título de Fortaleza Digital. No Brasil foi publicado pela editora Arqueiro, especializada em livros de aventura e suspense, assim como traduções de Best Sellers. O presente trabalho visa além de direcionar uma leitura crítica ao livro, compará-lo ao escândalo envolvendo o governo dos Estados Unidos da América e governantes de outros países que tiveram seus arquivos eletrônicos de correspondências e demais informações investigados pelo governo americano sem autorizações para tais quebra de sigilo.
Palavras-chave: Literatura Fantástica, Dan Brown, Sigilo Eletrônico, Literatura Contemporânea Americana, ciberespionagem.

            Fortaleza Digital é uma surpreendente aventura de uma bela matemática, Susan Fietcher, que como criptografa tem por objetivo encontrar a chave de um engenhoso código para evitar um desastre na história da NSA, Agência Nacional de Segurança Americana.
            Para narrar tal história o autor faz uso de um conflito envolvendo um funcionário que deseja vingar-se do país que cria um poderoso sistema de quebra de sigilo e envio de mensagens, estas que os EUA com o passar dos anos utilizou para espionar a segurança de outros países.
            Ensei Tankado, um deficiente com sua doença causada devido à radiação da bomba atômica no Japão tem por desejo único, vingar seu país pelo ocorrido na Segunda Guerra Mundial. Para isso ele cria o Fortaleza Digital. Aparentemente ele era um ótimo funcionário e por fim é expulso da NSA e resolve detonar sua “bomba”, uma pane no sistema que divulga todo o trabalho da agência.
            Como heróis, temos o casal Susan e David, noivos, que mesmo estando longe fisicamente pensam juntos e tentam solucionar o código que reprime a pane no sistema.
            Sob muito suspense e emoção, os protagonistas buscam a solução para o fim do problema, com apoio é claro, do presidente americano, este que por sua vez faz o papel de boa pessoa que pouco sabe o porquê de alguém querer se vingar de seu país.
            A trama envolve perseguição política, policial, missão na Espanha para encontrar o vilão, este que por sua vez morre em praça pública e deixa como legado um anel contendo uma dica para a senha. Senha esta que é decodificada pelo casal protagonista nos últimos segundos do prazo de detonação do vírus no sistema. Tal quebra no sistema, se detonada, permite que hackers do mundo todo invadam o espaço sigiloso de informações do governo, o sistema é composto por barreiras de proteção e a emocionante narrativa nos permite acompanhar a quebra de todas as barreiras até chegar à última que heroicamente é impedida de ser quebrada devido à inteligência e astúcia dos protagonistas.
            Ao nos depararmos com tal narrativa não há como não intertextualizá-la com o caso Edward Snowden, este que ocorreu no ano de 2013 onde um alto funcionário do governo americano expõe ao mundo seu trabalho desonesto a mando do governo americano. O agente em questão era um espião treinado para formar bases de arquivos para a NSA, a mesma agência de segurança citada no livro. Tal fato levou à fuga imediata de Edward, seguida de asilo na Rússia no mesmo ano.
            Dan Brown ao escrever sua narrativa, 15 anos antes de acontecer de fato o escândalo envolvendo a espionagem, não pode imaginar tal repercussão de sua fantasia em termos reais. Tal coincidência leva a crer que por mais fantástica que seja a ficção a sede de espionagem e as armadilhas governamentais podem imitá-la ou até mesmo superá-la.
            No momento de discussão da presente resenha divulgou-se na internet que no próximo mês (junho de 2014) será expirado o visto de asilo de Edward Snowden na Rússia e é claro que este caso voltará à tona nas manchetes de todo mundo sem ao menos lembrar-se que tal desfecho já fora previsto por um escritor americano anos antes. O que resta é esperar que não termine de forma tão emocionante, não causando tantas mortes como na ficção. É esperar pra ver. Enquanto não temos o desfecho podemos nos deliciar com o fascinante livro do famoso mestre dos livros de ação e suspense, Dan Brown.